domingo, 6 de junho de 2010

Poésie Noire ameaça lançar novo álbum

Isso ocorre desde 2004, mas dizem que dessa vez é de verdade (antes não era?). Eu confesso que meu ceticismo quanto a esse novo lançamento não pode ser negado, normalmente me animo com material novo de bandas antigas, exceto durante os 90, quando um medo hediondo tomava conta do meu ser. Cheguei a ouvir algumas músicas novas no myspace da banda, nada muito empolgante, mas não traumatizante pelo menos. Misteriosamente, essas músicas foram retiradas do site desde a última vez que vi, mas agora pode ser ouvida lá uma versão nova de Uncertain Smile que, a meu ver, está bem interessante, imagino que a chance de fazerem algo pior do que o TBX é quase nula.
Para quem não conhece, Poésie Noire é a banda que lá fora era vendida como EBM, aqui como gótica e na verdade sempre foi new wave, pop, tanto faz. Os "best of" não oficiais deles lançados por aqui são uma amostra bastante polarizada do que a banda realmente fez, mas ainda assim, são melhores do que nada. A coisa mais engraçada até hoje foi que Jo Casters e Herman Gillis juntos com Roland Beelen (um dos fundadores do selo Antler Subway) formavam o trio de produtores Morton, Sherman and Belluci respectivamente. Esse trio publicou uma quantidade impressionante de material durante a onda de new beat na Bélgica sob vários nomes diferentes, dentre os mais populares: Taste of Sugar e Erotic Dissidents, ambos com temática e samples de cunho pornográfico em um festival de duplo sentido. Obviamente esse estilo de música divide opiniões, mas é um fato. Para ilustrar devidamente a diferença...


Notável a diferença, não?