segunda-feira, 24 de maio de 2010

Neon Judgement

Essa matéria foi escrita baseada em uma entrevista que conduzi com a banda em 2005 para o finado site do Projeto SOD. Uma amiga me procurou repentinamente perguntando se eu não queria realizar a tarefa em questão, pois ela não teria tempo para a mesma e ainda achava que eu seria alguém adequado para tal coisa. O site saiu do ar antes de poder pôr a matéria no ar, e depois de um tempo na "gaveta", resolvi procurar outro site para publicá-la, e ela está até hoje no fiber on line. Leia o texto na íntegra abaixo.

Neon Judgement foi uma daquelas bandas que começou de forma despretensiosa, mas que acidentalmente acabou se tornando uma grande influência por gerações. Uma banda que tinha como maior objetivo conseguir lançar um LP. Partiram para a formação de apenas synth e guitarra meramente pela praticidade. Um belo dia os dois membros principais, Dirk Dadavo e TB Frank se cansaram de ter problemas com outros membros e ao ver que as coisas não saíam do lugar, simplesmente dispensaram todos os demais. Maravilhados com as possibilidades de autonomia que fazer música com sintetizadores trouxe no começo dos 80, resolveram fazer música apenas os dois. Ao serem perguntados sobre o estilo que pretendiam seguir quando começaram a fazer música, a resposta foi bem simples: nenhum, apenas queriam ter uma banda, como quase todos jovens daquela época. A banda na verdade não se considera como sendo EBM, nem gótica, apenas um pop mais sombrio. Confirmando que gravadoras como a “Play it again, Sam!” e a “Antler Rercords” pegaram carona no sucesso do Front 242 que inventou o nome EBM e venderam todas suas outras bandas que se utilizavam de sintetizadores mais do que outros instrumentos como EBM. Porém essa ingenuidade juvenil custou caro à banda, que teve problemas contratuais com a gravadora belga “Play it again, Sam!”, mas nos dias atuais essa questão contratual está resolvida. Frank disse preferir não comentar a respeito disso, pois ele já dirige um Jaguar e tudo vai bem em sua opinião.
Muitas vezes temos idéias fantasiosas sobre como surgem as bandas, seguindo influências de outras bandas que parecem mágicas, ou algo assim. No caso do Neon Judgement não houve grandes influências, eles se consideravam apenas jovens normais de suas épocas, que curtiam disco e Pink Floyd nos anos 70 e ouviram o boom da música eletrônica no começo dos anos 80, e aparentemente por acaso, fizeram parte dele. Essa influência se estendeu até os dias de hoje, quando questionados quanto à onda de remixes, eles disseram gostar de alguns resultados e contaram que não procuraram ninguém para fazer os remixes. Todos os produtores apareceram por conta própria se oferecendo para a tarefa. Uma prova da influência que a música eletrônica dos anos 80 teve sobre nomes da música eletrônica atual tais como Terence Fixmer, Tiga e The Hacker. Como ressalva, Frank disse que os remixes devem conter algo da música original e não serem algo totalmente novo.
Falando sobre projetos futuros, a banda não tem planos de lançar novo material nos próximos anos. De acordo com Frank eles ainda lucram com o material dos anos 80. Mas a possibilidade de outro Box Set surgir ainda é cogitada. Dirk disse que a idéia original do Box era que ele tivesse um CD com as músicas mais pesadas e outro com as mais melódicas.
Para quem quer conhecer a banda, a melhor forma de se começar é recorrer aos CDs “The First Judgements” e “General Pain & Major Disease”. First Judgements é uma seleção das músicas que foram lançadas nos singles da primeira metade da década de 80; General Pain é um best of incluindo faixas da fase inicial e dos dois primeiros álbuns da banda Mafu Cage e Horny as Hell.