sexta-feira, 16 de julho de 2010

LPs da Dark Entries

Querido diário, hoje chegaram os dois LPs que comprei da Dark Entries, foi uma emoção muito grande para mim finalmente ter um LP do Dark Day e uma coletânea belga de material que só foi lançado até então em cassete décadas atrás.

Dark Day, a banda de no wave que já foi hit de new beat e hoje em dia é clássico entre os admiradores de minimal wave. Meu primeiro contato com o som obsessivo de Robin Crutchfield foi através do CD Collected 1979 - 1982, lançado pelo selo belga Daft Records em 1998, hoje em dia provavelmente esgotado. Crutchfield, antes do Dark Day, fazia parte da banda DNA - boa mostra de como fazer música esquisita com guitarra - como tecladista, por ter interesses musicais diferentes, ele preferiu formar o Dark Day, que passou por várias fases até lançar o LP Window que é quase que totalmente eletrônico, sombrio e minimalista quase ao extremo por conta da simplicidade e da repetitividade.


A coletânea Underground Belgian Wave Volume 1 tem uma seleção bastante interessante de material que, em grande parte, até então só foi lançado oficialmente em cassete. Para quem gosta daquelas bandas belgas esquisitas que ficavam entre o industrial, EBM, minimal wave e sabe-se lá mais o que, é diversão garantida. Destaque para: M. Bryo que era coisa do Mark Burghgraeve, também envolvido com Somnambulist e vocalista do Klinik na fase da Zoth Ommog; Vita Noctis que até chegou a sair em uma das coletâneas Black Sundays aqui no Brasil e, de brinde, Danton's Voice, outro caso de hit de new beat acidental - do mesmo Dirk De Saever do White House White.