segunda-feira, 12 de julho de 2010

Smersh

"Mike Mangino e Chris Shepard começaram a gravar juntos em 1979 e passaram a lançar cassetes como Smersh em 1981. Smersh era uma reunião em noites de segundas feiras onde ambos gravavam trechos improvisados, foram lançados incontáveis cassetes pelo selo deles, Atlas King."*

Provenientes de New Jersey, Smersh era a combinação de instrumentos eletrônicos baratos com guitarras distorcidas em produções caseiras improvisadas que eram tocadas apenas no ato da gravação e jamais tocadas ao vivo. Quem imaginaria que uma banda assim sobreviveria ao teste do tempo até hoje? A variedade de sons que produziram faz a descrição uma tarefa no mínimo complexa, essa variação estilística incluía desde electrofunk a músicas que poderiam fazer parte de coletâneas de punk rock. A certeza é que Smersh faz sucesso entre os que gostam de industrial e minimal wave em especial, tendo aparecido em diversas coletâneas de ambos estilos. Do começo dos 80 até hoje, foram lançados muitos álbuns em cassete, alguns em vinil e CD - geralmente um apanhado do que saía em fitas - e até hoje ainda saem alguns lançamentos em CDR, tanto pela gravadora do próprio Mike Mangino, Mirandette Popular, quanto pela alemã Discos Veveos. Para os que tiverem curiosidade, nesse ano foi disponibilizado um best of virtual pelo site Free Music Archive. Mike Mangino até hoje produz música sob alguns outros nomes, o trabalho dele pode ser acompanhado e até comprado aqui, inclusive ocasionais (re)lançamentos do Smersh. Para uma seleção generosa de títulos do Smersh em mp3, visite aqui.
Obs: não confundir com a banda russa de grindcore homônima.

*tradução de texto publicado no site free music archive